Melhorando a comunicação: conheça os predicados V A C

Descubra como escolher melhor as suas palavras no momento de se comunicar.

É possível detectar a dominante sensorial de uma pessoa em um determinado momento. Para isso, devemos prestar mais atenção às palavras de base sensorial. Ou seja, quando ela nos descreve sua experiência, ela escolhe palavras que representam melhor a maneira como aquilo a afetou e com esses indícios podemos nos aproximar e criar uma conexão mais forte com seu discurso.

Isso acontece porque a linguagem reflete o pensamento. Ou seja, as palavras escolhidas por quem fala refletem os processos internos que são utilizados para construir e lidar com uma experiência.

Ao analisarmos os predicados (verbos, adjetivos e advérbios) que nosso interlocutor utiliza, é possível criar uma comunicação mais adequada para gerar uma conexão com a outra pessoa.

Entendendo as sensações das palavras

Essas palavras possuem uma base sensorial, o que significa que está ligada a algum dos sentidos. Apesar de existirem 5 sentidos, podemos destacar estímulos como o visual (visão), o auditivo (audição) e o cinestésico (tato, paladar e olfato). Quando usamos palavras do campo semântico de cada um desses sentidos, o que estamos fazendo é tornar a comunicação mais sensorial.

Se alguém diz que está “vendo” o cerne da questão, por exemplo, a sensação que ela está usando de maneira mais forte naquele momento é a visão. Para que a comunicação flua de maneira mais agradável – ou até mesmo persuasiva, você pode escolher manter a conversa estimulando essas sensações pela sua escolha de vocabulário, causando uma melhor experiência.

Temos apenas um sentido mais aguçado?

Por muito tempo as pessoas acreditaram que se definir como fortes em apenas um sentido era real. No entanto, todos têm capacidade de se expressar em cada um dos sentidos. Ou seja, ao privilegiar uma dessas sensações não significa que aquela é a sensação mais forte no seu dia a dia.

Ao se comunicar preferindo uma determinada sensação, isso significa que esse foi o sentido mais apurado naquele momento ou que o relato que está sendo contado estimulou muito mais esse sentido.

Predicados imprecisos

Nem todas as palavras estão classificadas em uma das categorias do V A C. Isto acontece porque elas não são muito precisas do ponto de vista sensorial, fazendo com que a frase não dê indicações desse domínio. Podemos citar como exemplo nesse caso algumas palavras como pensar, compreender, recordar, crer, saber, entre outras. Nessa situação, entretanto, você também pode usar algumas técnicas para conseguir extrair essas informações do seu interlocutor.

Ao perguntar “Como você sabe disso?” ou ainda “Como você fez para aprender isso?”, por exemplo, há mais chances do seu interlocutor dar indícios de seus processos internos.

A importância de compreender os processos internos

Quanto mais informações você tiver de uma pessoa, melhor poderá desenvolver a comunicação. Ao perceber seus processos internos, você tem a chance de trabalhar melhor com os recursos que você já possui, criando diálogos mais envolventes e estimulando o entendimento entre as partes.

Veja nossas outras publicações e conheça mais da Programação Neurolinguística com a SBPNL!

E-book 10 Dicas de Comunicação