Autoconhecimento: abandonar o papel de vítima pode mudar a sua vida

Você está fazendo papel de vítima? Ele pode ser prejudicial para o seu sucesso!

Todo mundo tem sonhos e planos para o futuro. Mas por qual razão algumas pessoas conseguem vencer todas as adversidades e vencer seus obstáculos enquanto outras mal conseguem sair de seu lugar?

Nas pessoas que se encaixam nessa segunda colocação, é comum notar que elas se sentem injustiçadas e vítimas de sua própria situação. No entanto, até que ponto esse sentimento pode ajudar na mudança desta situação?

A Programação Neurolinguística surgiu a partir da observação dos padrões de comportamento e pensamento das pessoas de sucesso em variadas áreas da vida, tanto pessoal quanto profissional. E em nenhuma dessas pessoas estava a conformidade com o papel de vítima.

É importante perceber que algumas situações você realmente pode estar sendo vítima de algum assédio ou bullying por parte das pessoas ao seu redor. Mas como lidar com esse problema será fundamental para que você saia dele mais fortalecido e adquira maior autoconhecimento.

Benefícios de ser a vítima

Reconhecer que você desempenha o papel de vítima por um motivo também é importante para abandoná-lo. Afinal, quem é a vítima pode sentir algum estímulo por parte das pessoas ao seu redor, como atenção, carinho ou até mesmo algumas facilitações, como se ver desobrigado a passar por outras situações.

Mas recorrer a esse comportamento, mesmo que apresente benefícios em alguns momentos, poderá limitar o seu repertório de respostas, fazendo com que você não consiga se sair tão bem em outras situações.

Não alimente o papel de vítima

O primeiro passo para que você consiga se livrar do papel de vítima – ou ajudar alguém a sair dele, é parar de alimentar esse sentimento. Nesse ponto, é muito importante que você se foque nas suas características vencedoras e todas as habilidades que você possui e estão à sua disposição.

Perceba que você tem o poder de mudar vários aspectos da sua vida, assim como também pode tomar decisões mais assertivas para chegar até os seus objetivos – incluindo se livrar de situações aversivas. Como Jean Paul Sartre escreveu, “não importa o que fizeram com você, mas sim o que você fez daquilo que fizeram com você”.

Você tem responsabilidade no que aconteceu?

Outro aspecto importante dessa mudança de comportamento é se questionar sobre a sua responsabilidade. Se você teve algum comportamento que justifica uma bronca ou até mesmo outras consequências, é necessário que você reconheça o seu erro e a sua participação nisso, buscando também maneiras de mudar o seu comportamento.

Torne-se mais consciente de suas atitudes

Se você já vem desempenhando o papel de vítima – ou alimentando esse comportamento em outras pessoas, é importante que agora você tome mais consciência e fique mais atento ao que você diz e demonstra aos demais. Quebre esse padrão e comece a ser o responsável pelas suas decisões!

Veja nossas outras publicações para saber mais sobre PNL e como mudar as suas crenças limitadoras!